O que é que o Algarve tem?

Vamos começar a rentrée com um post bem amargo, pode ser? Todos os anos todas as pessoas que conheço vão passar férias ao Algarve. Pode ser o mês todo – à javardolas – ou uns ‘diazinhos’ – numa de ser mais delicado. Mas, todos vão. Novos, velhos, ricos, pobres, gente que leu Clarice Lispector, gente que prefere o Código Da Vinci, gente que come orgânico, gente que prefere churrasco, gente que acampa selvagem, gente que bebe cocktail no resort. Quando eu era criança, não passava férias no Algarve. Só uma vez em 1982 na Aldeia das Açoteias quando o meu irmão era muito bebé e uma outra ocasião quando ficámos no apartamento de uma amiga da minha mãe perto de Portimão, porque como era possível recusar alojamento grátis, minha gente? Por isso, quando digo que ‘não gosto do Algarve’, sempre me respondem: é porque não conheces Tavira. Ou: é porque nunca foste à Manta Rota. Ou ainda: se fores à Praia Verde vais mudar de ideias. Todas as pessoas normais têm o seu lugarzinho de eleição no Algarve. Mas, eu já fui a todos esses locais, porque durante anos achei que era impossível ser a única que não gostava do Algarve. O que é que eu não estava a ver? Vocês têm que perceber que eu me esforço muito para ser igual às pessoas normais. Então, eu fui ainda adolescente inaugurar a Pousada da Juventude de Lagos, eu fiz surf em Sagres, eu tomei banho na água quente de Monte Gordo, eu dormi em resorts com piscina e pulseirinha, eu saí à noite em Vilamoura, eu visitei o interior do Algarve, eu fui até ver a decadência do centro de Albufeira às duas da manhã (este último recomendo vivamente, é inesquecível). Ah, eu tentei mesmo. Continuo sem gostar. Há o Algarve dos milionários, dizem sempre. Um verdadeiro paraíso de praias privativas, campos de golf e casas de sonho. Mas, eu não sou milionária, esse Algarve não vou conhecer nunca. O ‘meu’ Algarve, o das vilas brancas com prédios junto ao mar, o das barraquinhas de tereré e ingleses esturricados, esse em que we speak english, wir sprechen Deutsch e vendemos boias, barbatanas e baldes de praia, esse das gelatarias morrendo ao sol, continuo sem gostar. Mas, melhor assim. Mais sobra para os verdadeiros apreciadores. E são tantos.

(Vídeo: Víciada no feed do Buzzfeed Tasty no instagram. Passei o verão repetindo esta receita. Tive que tirar este vídeo do youtube por causa do WordPress, mas estão todos no instagram)

Anúncios

One comment

  1. Há praias lindíssimas no centro e norte de Portugal, mas as águas são bem mais frias! Eu sou da zona Oeste e adoro as praias da minha zona, mas sou tão friorenta que dificilmente consigo lá tomar banho. 😁

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s