Vendendo palavras em Ipanema

Uma ideia de negócio. Eu gostava de abrir no Rio de Janeiro, junto à praia de Ipanema, uma barraquinha que vendia palavras portuguesas. Portuguesas de Portugal. Por meio real, você poderia saber o que significa ‘fiambre’, ‘talho’, ‘guarda-redes’, ‘fixe’ ou ‘autocarro’ deste lado do Atlântico. Eu explicava o que era uma ‘chávena’ e um ‘comboio’. Falava que ‘puto’ aqui em Lisboa não é xingamento e que, nos aviões, uma aeromoça é uma ‘hospedeira’. Eu acho que também ia ter  receitas de comida. Uns papelinhos com a receita de arroz de polvo, leite creme e dos jaquinzinhos. Mas, essas eu não vendia não. Trocava por quem me trouxesse uma água de coco ou um chope fresquinho.

(Imagem: Pôr-do-sol em Ipanema na National Geographic)

sunset-ipanema-beach-rio-de-janeiro_74340_990x742

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s